A elaboração do Estúdio Abudrum.

 

O Set de Gravação ( A Sala Acústica - Histórico da elaboração).

Por  mais de uma década, Vitor Abud Hiar dedicou-se minuciosamente aos estudos da sonoridade típica de cada instrumento  pertencente ao rol da percussão libanesa. Seus estudos basearam-se na análise do tradicional timbre antigo, característica marcante em tais diversificados instrumentos milenares. buscando, assim, a resposta de como extrair de cada um deles a melhor sonoridade possível, sejam tocados individualmente ou em grupo, frente a modernidade advinda  com a era da gravação digital.

Curiosamente é raro vermos trabalhos percussivos árabes que não apresentem imperfeições sonoras, sejam de menor ou maior intensidades. Quando o assunto é captação de tambores antigos, o uso de bons equipamentos para a coleta dos sons, além de cabos em filamento de prata e plugs banhados à ouro não são elementos imperativamente essenciais; a perfeita escolha do ambiente também se faz mais que necessário.

Após anos de dedicação intensa tais trabalhos renderam importantes frutos. Criado no ano de 2005 pelo idealismo de Vitor Abud Hiar, o estúdio ABUDRUM fora especificamente projetado, em caráter inicial, para realização de gravações de instrumentos musicais de alta ressonância, como, por exemplo, tambores e metais. Entre os anos de 2006 a 2008 o trabalho permaneceria ainda em fase de testes, até que em 2009 as primeiras gravações começaram a ser feitas  sob um sistema acústico realmente diferenciado.

A sala acústica ou set de gravação, segue os princípios elementares de proporcionalidade acústica, partindo dos estudos dos célebres físicos Newman, Bolt e Beranek (regras estas seguidas para a criação dos melhores estúdios musicais do mundo), privilegiando, assim, uma perfeita distribuição sonora imprescindível para uma perfeita captação. Após os cálculos realizados e conhecendo-se  as frequências sonoras produzidas por um determinado tambor no âmbido da sala acústica milimetricamente projetada, é possível, assim, ultilizando-se de específicos filtros e/ou potentes plug-ins, corrigir possíveis imperfeições.

 Os Instrumentos percussivos, dependendo da localidade onde são tocados, podem produzir as chamadas ondas estacionárias que, certamente, causam prejuízos à qualidade das gravações. O resultado final são trabalhos sonoricamente únicos e bem delineados, dando ênfase à beleza e precisão das notas percussivas apresentadas nas técnicas desenvolvidas por Vitor Abud Hiar há mais de 31 anos.

Assim, dando continuidade ao seu antigo projeto idealizado nas décadas dos anos 80 e 90, quando gravou os primeiros trabalhos em caráter experimental utilizando duplos tapes analógicos e montagens em fitas cassetes, Vitor Abud Hiar vem dedicando-se à gravação de inúmeros Samples & Loops (técnica utilizada pela primeira vez por Giorgio Moroder na década dos anos 70), em perfeitas BPM (batidas por minuto) que podem ser facilmente utilizadas como base rítmica na produção de qualquer obra discográfia. A diferença, nesse caso, é a não frieza dos ritmos produzidos pelos sintetizadores artificiais, bastante condenados na música oriental. Essas gravações serão utilizadas gradativamente nos trabalhos discográficos de Vitor Abud Hiar.

Todo esse trabalho de estudo acústido e sonoro - dos quais não foram medidos esforços -  em prol da percussão árabe,  proporcionará para a Profissional de Danças Árabes e amantes da Percussão Oriental, trabalhos cada vez mais perfeitos sonoricamente, dinâmicos, mais apurados e equalizados, somados, claro, à experiência, técnicas e estilo inconfundíveis de Vitor Abud Hiar. 

*** Equações e Gráfico de Proporcionalidade Acústica ***

•  Localização da Sala Acústica no Gráfico de proporcionalidade, após cálculos realizados .

 

O acervo histórico em áudio (um dos mais completos do Brasil).

Pequeno detalhe com aproximadamente 50 lp's históricos do acervo das décadas de 60, 70 e 80.

É notório que a música árabe no Brasil teve seu início histórico há muitos anos atrás. Fuad Haidamus, apesar de não ser considerado um cantor profissional,  fora o primeiro a divulgar a música árabe cantada no Brasil através do programa radiofônico de Chico Shabou no ano de 1956.

 Já o primeiro Lp  gravado no Brasil, fora de autoria do eminente cantor lírico Romeu Féres surgido na década dos anos 50. Féres fora o primeiro intérprete de músicas árabes no Brasil; gravou pela então famosa e atualmente extinta Odeon os long plays "Jóias Árabes" e "Tardes Orientais". Foram, estes, os primeiros trabalhos realizados em homenagem a Comunidade Árabe no Brasil.

Apesar Romeu Féres ter gravado os primeiros Lp´s na década de 50, as primeiras mídias no Brasil datam de tempos ainda mais remotos. Dentre as famosas gravadoras da época, além das internacionais Baida records, Ariphone, Baidaphon, Misrophon, Sonocairo.etc.. podemos citar, além da supracitada Odeon, a Continental.

Além de projetado especificamente para gravação de tambores e metais, o estúdio ABUDRUM também pode ser considerado um grande instrumento no resgate em áudio profissional da história da música árabe evolutiva no território brasileiro.  Possui um considerável acervo realmente histórico, então pertencente à tradicional Família Haidamus,.

Conhecedor e apaixonado pela evolução da música árabe em território brasileiro, Vitor Abud Hiar vem resgatando e  utilizando tais mídias como fonte inspiradora na criação de seus trabalhos percussivos. Convêm ressaltar que além das mídias antigas de artistas internacionais hoje raríssimas no nosso tempo, há também gravações históricas em fitas cassetes de áudio amador de apresentações de nossos renomados músicos pioneiros e precursores , como : Wadih Cury, Romeu Féres, Jorge Aidamus e conjunto Egito, William Bunduki e seu conjunto, Fuad Haidamus entre outros, nos restaurantes árabes Bier Maza e Porta Aberta. 

Fechar